Telefones: (48) 3434 4741 / 9913 6641

Câncer Bucal

Dr. Vilson S. Schambeck/ Saúde Bucal (ssvilson@yahoo.com.br )

O câncer bucal é um tumor maligno que se desenvolve a partir de uma célula que sofre uma série de alterações genéticas. A célula “defeituosa”, diferentemente das outras, passa a se multiplicar desordenadamente, transformando-se num corpo estranho ao organismo.

Fatores de risco:

Álcool – bebidas destiladas ingeridas cronicamente por longos períodos;

Tabaco – um indivíduo que fuma de um a nove cigarros por dia, tem cinco vezes mais chance de apresentar câncer quando comparado a um não-fumante;o dia, tem 5 vezes mais chance de apresentar câncer quando e

Radiação solar – afeta principalmente pessoas de pele clara, sendo responsável pela maior parte dos cânceres de lábio inferior;

Irritantes locais – má higiene bucal, dentes quebrados,próteses removíveis parciais ou totais mal adaptadas;

Dieta pobre em vitaminas A, C, E e o vírus HPV (papilomavírus humano).

Auto-exame:

O AUTO-EXAME da boca deve ser realizado a cada 6 meses. Ele deve ser realizado em local bem iluminado, diante do espelho.

Como proceder:

1) Veja se em seu rosto há algum sinal que você não notou antes;

2) Observe no lábio se há manchas ou feridas;

3) Puxe o lábio de baixo e examine-o por dentro; faça o mesmo com o lábio de cima;

4) Abra a boca e estique a bochecha; faça isso dos dois lados;

5) Ponha a língua para fora e observe sua parte de cima;

6) Puxe a ponta da língua para o lado direito e depois para o lado esquerdo e observe as laterais da língua;

7) Coloque a ponta da língua no céu da boca e examine a parte de baixo da língua e o soalho da boca;

8) Incline a cabeça para trás e examine o céu da boca;

9) Ponha a língua pra fora, e observe a garganta.

Deve-se observar com atenção as feridas que não cicatrizam em 2 semanas; manchas brancas, vermelhas ou negras; carnes crescidas; caroços; bolinhas duras e inchaço na boca; dificuldade para movimentar a língua; sensação de dormência na língua; dificuldade para engolir. O objetivo é identificar lesões precursoras do câncer de boca.

Conclusão:

O cirurgião-dentista, recebe o paciente pelo menos 2 vezes por ano. Sendo assim,  há a possibilidade de realizar um exame minucioso, podendo detectar alterações antes mesmo de qualquer sintoma. A expectativa de cura varia de 85% a 100% quando o câncer é diagnosticado e tratado na fase inicial.

É importante salientar que o desenvolvimento do câncer de boca aumenta na proporção em que aumentam o consumo de tabaco e álcool. Esta é a principal razão pela qual essa incidência está crescendo também no sexo feminino.